Regras Básicas de Convivência


Muita gente sai de casa, seja pra estudar, trabalhar, ou mesmo para uma viagem, achando que vai ser tudo lindo, todos vão se amar, e ninguém vai ter problemas. Na verdade, morar com outras pessoas não é tão lindo como em seriados americanos e malhação (ainda existe malhação?). Se em casa, com nossa família, a gente tem vontade de sair correndo às vezes, imagine morando com pessoas que têm hábitos totalmente diferentes dos seus? Não é fácil.

Durante esses 2 anos morando em "república" e dividindo quarto, acredito que já adquiri experiência o suficiente para compartilhar algumas dicas e regras básicas de convivência. Já morei com (...contando...) 11 pessoas diferentes na república, e já tivemos diversos problemas com os quais aprendemos a lidar melhor com o outro e suas manias, que às vezes se tornam insuportáveis. Mas existem algumas regrinhas que podem (e devem) ser consideradas em todas as situações, com qualquer pessoa. Então vamos lá!

1. Estou incomodando o outro? Se sim, porquê? 

Vai trazer amigos pra casa? Ouvir música alta? Assistir TV de madrugada? Pergunte-se e pergunte ao seu colega de quarto se isso o incomoda, e porque. A pior coisa do mundo é tentar estudar em semana de provas finais enquanto a amiga escuta Rio Negro e Solimões na cozinha. Tenha bom senso de perguntar se alguém está estudando, dormindo, ou tentando se concentrar em algo antes de ouvir sua música favorita em último volume. Abaixe o som, coloque um fone, ou deixe para outro dia. Esse momento pode esperar!

2. O outro me incomoda? Posso relevar ou a prioridade é minha?

Antes (bem antes) de fazer barraco e o escambau, converse com quem está te incomodando. O que ele está fazendo é realmente necessário? Você está irritado porque tem "prioridade" ou simplesmente porquê não gosta do amigo que ele está trazendo, ou porque detesta o estilo musical que ele mais gosta, ou simplesmente porque está de tpm e tudo te irrita? Vamos pensar melhor nos argumentos. E nunca, NUNCA, JAMAIS faça birra e fique fazendo cara de bunda. Isso é extremamente infantil e desagradável para todos que estão por perto. 

3. Crie (e siga) as regras!

Não tem jeito: pra conseguir morar com mais 5 mulheres em uma casa minúscula sem que ninguém se mate, é preciso criar regras! E principalmente segui-las! Regras bobas, como "perguntar a todas da casa antes de trazer amigos para dormir em casa", "sujou, lavou" (e isso merece um parágrafo exclusivo), tabela para organizar quem leva o lixo, tabela para organizar quem paga as contas e quem limpa o quê, são EXTREMAMENTE importantes para o bom funcionamento do seu novo lar. Ajuda a distribuir as tarefas igualmente e evita que certas discussões se repitam inúmeras vezes. Regra é regra! E seguindo as regras todos podem cobrar a devida atenção às mesmas, uns dos outros, sem relativizar a coisa. 

Lá em casa, toda semana 2 pessoas fazem a faxina. Uma fica com banheiro e a área externa e a outra com cozinha e escada. Temos uma tabelinha pregada no mural onde você anota a data da faxina, para que a próxima dupla fique atenta! Todo mês alguém descongela a geladeira (não, não temos frost free), e as contas, cada dupla/quarto fica responsável por calcular, recolher o dinheiro e pagar. Como eu e a Pkena somos as mais "velhas de guerra", ficamos com o aluguel e a caixinha.

4. É de interesse de todos da casa? 

Lembre-se: você não mora sozinho! Antes de fazer mudanças na casa ou propor que alguma mudança nas regras, pergunte-se: "Está funcionando dessa forma? Se não, porque?" Mudanças são sempre boas, se forem de interesse geral e para a melhoria do funcionamento do seu Lar. Não adianta achar que isso deveria ser dessa e dessa forma só porque na casa dos seus pais era assim, ou porque você, pessoalmente, acha que tudo ficaria melhor do seu jeito. Acredite: não ficaria. 

Sair da casa dos pais significa que você vai ter que se adaptar aos hábitos das outras pessoas também. Adapte-se antes de achar que todo o resto tem que se adequar a você! Se entrar em uma república já existente, respeite as opiniões de quem já está na casa, observe como as coisas já funcionam, e só depois proponha mudanças.

5. Sujou? Lavou! Sempre, today, tomorrow, always. 

Por favor, tenha piedade. Se na sua casa sua mãe, sua empregada ou seu cachorro lavavam tudo pra você e limpavam seu quarto, e você quer continuar assim, traga sua mãe pra morar com você. Sério, limpe seu quarto, faça a faxina direito e lave a louça! Que seja lavada no mínimo no mesmo dia que você sujou. Tudo bem deixar um copo na pia porque está atrasada pra aula, mas assim que chegar, lave. Cabelo no ralo? Tire. Limpou seu quarto? Lave o pano. Derramou qualquer coisa no chão? Limpe. E verifique seus alimentos na geladeira regularmente, ninguém merece geladeira com cheiro de comida estragada.



6. Seja responsável pela casa. 

Mesmo dividindo o aluguel, tarefas e o espaço, sua responsabilidade pela casa não deve ser dividida: todos têm que se sentir igualmente e totalmente responsáveis pela casa, na limpeza, segurança e harmonia. Mantenha as coisas limpas, não esqueça panelas no fogo ou o portão aberto, não atrase as contas, não incomode o vizinho, etc etc etc. 

7. Seja agradável!

Dê bom dia, convide seus colegas para saírem todos juntos, tenha momentos de descontração e pense no outro também como seu amigo. Quando a gente conhece o outro, suas dificuldades, seus defeitos, seus problemas, a convivência se torna muito melhor. Você pode reclamar de alguma besteira que seu amigo fez e ajudá-lo a resolver, mas uma pessoa distante pode ficar "chateada" com a forma que você falar, e exige muito mais "formalismos". Morar com parceiros é muito mais relax. 

8. Compartilhe!

Suas coisas, sua vida, seu espaço, seu quarto. Ficar com a porta do quarto trancada o dia inteiro, desconfiar dos seus colegas e ter frescuras na hora de emprestar alguma coisa ou trancar o quarto quando não estiver em casa, é extremamente desagradável e não é legal para a convivência. Não custa nada emprestar seu secador, e não tem nada mais divertido do que juntar com as meninas pra trocarem esmaltes, fazer as unhas juntas e fofocar sobre os boys-magia. Trocar experiências, contar pra todo mundo como foi a festa e perguntar sobre um possível novo corte de cabelo, não dói, não mata ninguém, e ainda pode te trazer amigos pra todas as horas.

9. Seja humilde!

Fulana de tal fez algo que você não gostou? Chame-a e converse diretamente com ela. Você fez algo que fulana de tal não gostou e ela quer conversar? Escute, explique seus motivos, tente entender os dela, e peça desculpas se tiver trazido algum problema para ela. Não estou dizendo pra abaixar a cabeça pra tudo. Mas um "Me desculpe, tentarei melhorar e obrigada por vir falar comigo" pode evitar meses de fofoquinhas e cara de bunda (voltamos ao item 2), e não custa nada. 

10. Gentileza gera gentileza.

Por fim, uma das coisas que acho muito importante é o "fazer o bem". Pode parecer clichê, mas quando você é gentil com o outro e com a casa, as pessoas ficam mais felizes, e o clima da casa se torna muito mais agradável. Fazer um bolo ou um almoço pra todos uma vez ou outra não faz mal. Lavar um copo de vez em quando pra colega que está mega atrasada (e você está a toa) também não faz mal. Dividem banheiro? Pergunte se alguém quer usar o banheiro antes de entrar pro banho. Vai à padaria/supermercado? Pergunte se alguém quer alguma coisa de lá. Compartilhe seu café da manhã. Esses pequenos hábitos são ótimos, diminuem a tensão do dia a dia e torna a nossa vida muito mais rica.

Bom, depois de prestar mais atenção nesses detalhes, tenha muito bom senso, e faça amizades pra vida toda! Diga não ao estresse! 

5 comentários:

Tamires Pkena disse...

Perfeitooo!!! É isso mesmo!!! Adorei, falou tudo... viva a boa convivência!!

Débora Delgado disse...

Ótimas dicas!! Mas sei lá, só acho que isso de dividir as coisas e não trancar o quarto não é legal. Eu gosto muuuuuuuito de privacidade e sou muito ciumenta com as minhas coisas. E tbm não gosto de usar nada dos outros, a não ser em casos de extrema urgência eu não compartilharia nada.
Gostei do post! Beijo
http://agarotaeotempo.blogspot.com.br/

Lídia disse...

Também adoro privacidade! Isso de compartilhar não significa que vc vai ficar com a pessoa e usando coisas dela o tempo todo (e vice versa). Tem mais a ver com amizade mesmo. Sobre trancar o quarto, se vc divide principalmente, é desnecessário (claro, se vc morar em uma república).

Exemplo: às vezes no fim de semana sua amiga do outro quarto quer receber alguém, ver tv, e a roommate dela quer estudar. Se seu quarto estiver aberto, ela simplesmente vai estudar nele (no caso de vc nao estar em casa) e deixa a amiga a vontade. isso já CANSOU de rolar lá em casa!

Beijos, e que bom que gostou!

Luciana Gasparini disse...

Ei, Lídia!! Nossa, muito legal esse seu post, sério!! Bom saber que uma pessoa que pensa desse jeito vai pra, pelo menos, a mesma uni que eu! Hahaha... Acho que vou reler esse seu post mais umas 500 vezes ainda, pra fixar tudo... Vai ser a primeira vez que moro fora e tenho certeza de que vai ser um desafio e também aprendizado enorme!

Tudo de bom pra você, viu? Vou add seu blog à minha lista de referências porque realmente o achei maravilhoso! Está de mega parabéns!!

Lídia disse...

Obrigada Luciana! Realmente é um desafio, mas nesses 2 anos e 11 companheiras aprendi bastante!

Mais uma vez obrigada, e seja bem vinda!